• Claudia Godoy

Rússia pede à OMS registro da Sputnik V, a primeira vacina contra o coronavírus

Com informações da Embaixada da Rússia

O Fundo de Investimentos Diretos da Rússia (RDIF, o fundo de riqueza soberana da Federação da Rússia) enviou pedidos à Organização Mundial da Saúde (OMS) para um procedimento de registro acelerado (Lista de Uso de Emergência, EUL) e pré-qualificação da primeira vacina registrada do mundo contra o coronavírus “Sputnik V”, criada em um sistema bem estudado de uma plataforma de vetores adenovirais humanos.

Assim, a Federação da Rússia tornou-se um dos primeiros países do mundo a solicitar à OMS a pré-qualificação de sua vacina contra a nova infecção por coronavírus.

O Programa de Pré-Qualificação é um programa das Nações Unidas coordenado pela OMS. É o único programa global de garantia de qualidade de medicamentos. Na pré-qualificação de medicamentos, a OMS avalia a qualidade, segurança e eficácia dos mesmos. Sujeito ao cumprimento dos requisitos estabelecidos e dos padrões da OMS, o produto médico é incluído na lista de medicamentos pré-qualificados.


Diante de uma pandemia, o registro acelerado de uma vacina sob o procedimento EUL tornará a vacina russa disponível para todo o mundo em um período de tempo menor do que os procedimentos convencionais e apoiará os esforços globais para prevenir a infecção por coronavírus. A pré-qualificação bem-sucedida permitirá que a “Sputnik V” seja incluída na lista de medicamentos usados por organizações de compras internacionais e países para gerenciar a compra a granel de medicamentos.