• Claudia Godoy

Primeiro-ministro do Paquistão faz homenagem ao "Pai da Nação"

Por: Claudia Godoy

O Paquistão celebra nesta semana a conquista de um Estado muçulmano livre e independente. Localizado na Ásia, no subcontinente indiano, o Paquistão é o quinto país mais populoso do mundo. Tem montanhas e lagos muito incríveis e fala uma língua chamada urdú, mas também inglês, pois já fez parte do Grande Império Britânico. O Paquistão tem fronteiras com a Índia, a China, o Afeganistão e o Irã. Tem uma costa para o mar Arábico, no Golfo de Omã. É um país um pouco maior que os estados da Bahia e de Tocantins juntos, considerando a Caxemira.

O Paquistão enfrenta a Índia numa disputa pelo direito da população da Caxemira de decidir o seu futuro. De maioria muçulmana, os caxemires hoje estão sob a administração da Índia, que é hindu, mas quando houve a independência do Grande Império Britânico, o acordo foi de que a Caxemira ficaria com o Paquistão, que tem a mesma religião dos caxemires.

O primeiro-ministro do Paquistão, Imran Khan. Foto: divulgação.


A capital do Paquistão é Islamabad. Nesta semana, o primeiro-ministro do Paquistão prestou homenagem ao Pai da Nação e a todos os líderes do Movimento de Independência que uniram os muçulmanos da Índia britânica e conquistaram um Estado muçulmano livre e independente. Imran Khan ressaltou os princípios de unidade, fé e disciplina de Muhammad Ali Jinnah para transformar o Paquistão num país verdadeiramente democrático e Estado do bem. Ele destacou o momento difícil do Paquistão para enfrentar a pandemia. O primeiro-ministro expressou também solidariedade ao povo da Caxemira. Segundo Imran Khan, a população da Caxemira sofre a pior forma de opressão pelas Forças de Segurança indianas. O primeiro-ministro saudou a coragem dos caxemires e disse que o Paquistão continuará a apoiar a luta da Caxemira até que a população conquiste o direito de decidir o seu futuro, conforme já determinaran resoluções da ONU (Nações Unidas). O Paquistão continuará com o compromisso de se tornar um país humano e próspero com base na meritocracia, igualitarismo e compaixão, garantiu Imran Khan.