• Claudia Godoy

Paquistão se prepara para produzir tecidos antigermes pós-pandemia



Responsável por 57% das exportações totais do Paquistão e por cerca de 40% da força de trabalho industrial, o setor têxtil do país se prepara para produzir tecidos antigermes para o mundo da moda pós-pandemia. "Os designers serão obrigados a fornecer soluções para as populações germofóbicas", disse o conselheiro de Comércio e Investimento da embaixada do Paquistão, Waqas Alam.

Waqas Alam (à direita) durante encontro na Fecomércio do estado do Paraná. Foto: divulgação.

Entrevistei com exclusividade o conselheiro paquistanês. Alam disse que o Brasil é o maior exportador de carne halal, principalmente para o Oriente Médio. "Há espaço significativo para investimentos no Paquistão", afirmou, acrescentando que ha espaco também para incremento na produção de sementes, óleos comestíveis e no setor mineral. "O Paquistão o quinto maior do mundo em reservas de cobre e ouro", disse Alam.

O sal do Himalaia do Paquistão. Foto: divulgação.

O Paquistão tem a sexta maior população do mundo, com 17 milhões de famílias de classe média. O comércio bilateral com o Brasil atingiu quase US$ 1 bilhão no período 2019/2020. O Brasil exporta para o Paquistão soja, sucata de ferro e aço, minério de ferro e produtos farmacêuticos. Já o Paquistão vende para o Brasil têxteis, sal rosa do Himalaia e artigos esportivos. Há potencial para aumentar a cooperação em áreas como processamento de alimentos, bens de consumo, logística, entretenimento, comunicações, setor financeiro, e-commerce, edu-tech, health-tech, etc.


Veja a entrevista completa em português e em inglês.

1- Quais as expectativas comerciais, econômicas e de investimento do Paquistão para o mundo pós-pandemia?


O Paquistão abriga a sexta maior população do mundo, são aproximadamente 17 milhões de famílias de classe média e 102 milhões de pessoas de classe média. O Paquistão, um mercado de 220 milhões de pessoas, com crescente renda disponível vive um estilo de vida em

mudança, e está preparado para novos investimentos.

Considerando sua crescente população jovem, o PNUD classificou o Paquistão como o segundo país mais jovem,

pois possui o maior número (64%) da população com menos de 29 anos de idade. De acordo com o “Relatório

Mundial em 2030”, publicado pelo HSBC Global Research, o Paquistão está classificado entre os principais países que

seriam a força motriz do crescimento econômico global durante os anos anteriores a 2030.

O governo do Paquistão vem empreendendo, desde os últimos anos, uma série de reformas estruturais e políticas rigorosas, levando a um ecossistema de investimento

aprimorado. Esses esforços foram reconhecidos globalmente pelo Banco Mundial por meio de seu

“Relatório de Facilidade de Fazer Negócios 2020”, onde o Paquistão está agora em 108 no ranking global, após um salto tremendo de 28 pontos. Mais melhorias no ranking

são esperadas este ano.

Entretanto, o COVID-19 criou perturbações sociais e econômicas globais sem precedentes e o Paquistão não é

uma exceção a isso. No entanto, em meio a esta situação, existem oportunidades de crescimento e investimento que podem ser aproveitadas como é o caso do

processamento de alimentos, bens de consumo (têxteis e artigos de couro), logística, entretenimento e comunicações, serviços financeiros, E-Commerce, Edu￾Tech, Health-Tech etc.

O Paquistão segue um regime liberal de investimentos e uma política de promoção de investimentos estrangeiros

somada a uma série de medidas de liberalização econômica para tornar o país mais atraente. Além disso, o

país está fora da crise de saúde global devido às ações oportunas do Governo do Paquistão para conter a pandemia de COVID-19.

A economia do Paquistão deve reverter este cenário em breve, fazendo uma recuperação em forma de V no segundo semestre de 2020.



2- E quanto ao Brasil, quais são os setores-chave nas relações comerciais com o Paquistão.


As relações entre Brasil e Paquistão são caracterizadas por grande amizade e cooperação. Brasil e Paquistão mantêm

relações políticas internacionais cordiais e têm se apoiado nas arenas políticas em diferentes fóruns.

Apesar da distância geográfica, o comércio bilateral entre Brasil e Paquistão em 2019-20 aumentou para quase US $

1 bilhão e ainda existe um enorme potencial de crescimento do comércio bilateral em relação à situação atual.

As exportações do Brasil para o Paquistão incluem principalmente soja, sucata de ferro e aço, minério de ferro, produtos farmacêuticos, milho etc. As principais

exportações do Paquistão para o Brasil incluem principalmente produtos têxteis, incluindo roupas masculinas, malhas, itens de cama mesa e banho, instrumentos cirúrgicos, o famoso e saudável Sal rosa do

Himalaia, o delicioso arroz basmati aromático e artigos esportivos.

O Paquistão é conhecido por ser o melhor fabricante de bolas de futebol do mundo, um orgulhoso fabricante exclusivo da bola oficial - ou seja, a TELSTAR, usada na

Copa do Mundo de Futebol 2018 realizada na Rússia, e a bola de futebol oficial usada na Copa do Mundo de 2014,

realizada no Brasil , a BRAZUCA.


3- Em que áreas há espaço para expandir a colaboração bilateral Brasil-Paquistão?


Uma vez que o Paquistão e o Brasil têm o mesmo tamanho de população e uma base agrícola forte na economia, há

muito espaço para colaboração mútua a esse respeito. No ranking global, o Paquistão é o 4º maior produtor de

algodão, 4º maior produtor de manga, 5º maior produtor de açúcar, 5º maior produtor de leite, 8º na produção total

de gado, 8º maior produtor de trigo, 11º maior produtor de citros, 11º maior produtor de aves e 13º maior de arroz.

Há um potencial substancial de colaboração no campo da agricultura e pecuária entre o Paquistão e o Brasil. Como o Brasil é o maior exportador de carne halal, principalmente para o Oriente Médio, há espaço significativo para investimentos no Paquistão nesse sentido, para se tornar um grande contribuinte para o Mercado Global de Alimentos Halal, sendo adjacente ao Oriente Médio e ao mundo muçulmano do Sul da Ásia, bem como leite processado e produtos lácteos. Também há uma grande oportunidade de produzir sementes de alta qualidade, bem como óleos comestíveis. 30% da produção de horticultura que vai para o lixo todos os anos no Paquistão pode ser convertida em ganho econômico, investindo em indústrias da cadeia de valor do agronegócio.

Em segundo lugar, existe também um enorme potencial de parceria/colaboração no setor mineral, visto que o Paquistão é o 2º maior do mundo em minas de sal, o 2º

maior depósito de carvão e o 5º maior em reservas de cobre e ouro. São 92 minerais conhecidos, dos quais 52 são explorados comercialmente, com uma produção total

de 68,5 milhões de toneladas métricas por ano. O setor mineral é promissor, com um crescimento médio de 3% ao ano, existência de cerca de 5.000 minas operacionais, 50.000 PMEs e empregos diretos de 300.000.

O Paquistão é abençoado com um enorme potencial de Recursos de Hidrocarbonetos, muitos dos quais ainda inexplorados. De acordo com as avaliações técnicas, as

reservas recuperáveis originais são de 1246 milhões de barris de petróleo e 57,4 trilhões de pés cúbicos de gás. As

reservas recuperáveis atuais são de 347,8 milhões de barris de petróleo e 19,5 TCF de gás. Com uma grande área sedimentar geográfica de 827.268 Sq. quilômetros, até

agora apenas 1.094 poços Exploratórios e 1443 de Avaliação / Desenvolvimento foram perfurados. Isso resulta em uma densidade média de perfuração de poços

de 3,0 poços por 1000 quilômetros quadrados, resultando em 394 descobertas. A ótima relação acerto / sucesso é de 1: 2,80, o que é bastante impressionante e atraente.

O Governo do Paquistão embarcou no caminho progressivo de Facilitar Negócios e simplificar Regras e Leis de forma a facilitar ao máximo o Investimento Estrangeiro neste setor. Como resultado dessas políticas, um grande número de Empresas Multinacionais no setor de E&P investiram no Paquistão e iniciaram os projetos / atividades de exploração e produção. Estes incluem ENI, ExxonMobil, United Energy Pakistan, MOL o Hungary,

China ZhenHua, Polish Oil & Gas Company etc. Além disso, o Governo do Paquistão forneceu vários incentivos/premiers de política para investimento em vários campos do setor de petróleo, ou seja, gás restrito E&P, Política de baixo BTU, Projetos de Refinaria, Projetos de Refinaria de

Petróleo de Conversão Profunda e projetos de infraestrutura relacionados, como Single Point Mooring (SPM), Pontes e Dutos Submarinos / Terrestres.

Finalmente, o potencial atual e futuro da indústria de TI no Paquistão é imenso, assim como o escopo para

colaboração bilateral entre o Paquistão e o Brasil a esse respeito. De acordo com a gigante de tecnologia dos EUA,

Google, o Paquistão está se tornando um ‘país em primeiro lugar no mundo digital’, abrindo novas oportunidades para as empresas interagirem digitalmente

com os consumidores.

O setor de TI do Paquistão constitui cerca de 5.000 empresas que empregam cerca de 500.000 profissionais de TI e TIeS com experiência nos produtos e tecnologias de TI atuais e emergentes. O Paquistão está tendo uma pegada de exportação global neste setor e atualmente exporta serviços e soluções de TI para mais de 100 países

no mundo. O Paquistão foi classificado como o terceiro país mais popular para freelance (Oxford Internet Institute, Online Labour Index 2018). É o quinto país mais

atraente financeiramente do mundo para serviços de terceirização (A. T. Kearney’s Global Service Location Index 2019). Mais de 300 empresas internacionais, incluindo empresas globais como Bentley®,Ciklum®, S&P Global®, Symantec®, VMware® estabeleceram suporte de BPO, desenvolvimento e centros de consultoria globais no Paquistão. Além disso, muitas empresas internacionais de TI estabeleceram escritórios no Paquistão, incluindo IBM®, HP®, Dell®, Intel®, Microsoft®, Oracle®, Siemens®, NCR®,

Teradata®, Mentor Graphics®. Além disso, as empresas de TI do Paquistão têm muitas empresas Fortune 500 entre

seus clientes, incluindo Halliburton®, Motorola®, GE®, BMW®, Toyota®, Daimler Chrysler®, AT & T®, Vodafone®,

e-Bay®, Pepsi®, Deutsche Telecom® , DHL®, KPMG®, ABN Amro®, NYSE®, British Petroleum®, Petronas®, Caltex®,

Sears®, Telenor®, entre outros.

Durante os tempos de teste atuais na esteira da pandemia COVID-19, é encorajador que a indústria de TI do

Paquistão esteja aberta / trabalhando com todo o seu potencial e os profissionais estejam fornecendo serviços globalmente. Espera-se que no mundo pós-COVID-19,

uma parte significativa dos negócios globais e do comércio esteja mudando para soluções de TI e TIeS para sua gestão

geral, gestão de estoque, marketing, operações, vendas, gestão financeira etc. Com tais perspectivas encorajadoras

a esse respeito, o espaço para parceria e colaboração entre o Paquistão e o Brasil no setor de TIC é ainda mais

enorme.


SETOR TÊXTIL DO PAQUISTÃO


O setor têxtil é o setor de manufatura mais importante do Paquistão, contribuindo com 57% das exportações totais

do país. Quase 1/4 do valor agregado industrial advém do mesmo e emprega cerca de 40% da força de trabalho

industrial. A indústria de confecções prontas emergiu como uma das importantes indústrias de pequena escala

no Paquistão. Este vestuário pronto, jeans e produtos têxteis para casa têm uma grande procura tanto a nível

nacional como internacional e existe um imenso espaço para investimento neste sector pelas seguintes razões;

O Paquistão é o 4º maior produtor e o 3º maior consumidor de algodão do mundo.

O Paquistão é o terceiro no mundo em termos de

produção de fios de algodão.

O Paquistão tem acesso isento de imposto junto à União Europeia ao abrigo do GSP Plus. No mundo da moda pós-COVID-19, em vez de usar materiais e cortes tradicionais, os designers serão

obrigados a fornecer soluções para populações germófobicas preocupadas com a saúde. Essa transformação de têxteis tradicionais em têxteis médicos

e saudáveis exigirá investimento para ser concluída. ( TRADUÇÃO: Thaís Lobo, escritório comercial da embaixada do Paquistão em São Paulo).


In English

1- What are Pakistan’s trade, economic and investment expectations for the post-pandemic world?

Pakistan is home to the world’s 6th largest population, approximately 17 million middle class households and 102 million middle class individuals. Pakistan, a market of 220 million people, coupled with growing disposable income and a changing lifestyle, is primed for new investments. Considering its growing youth bulge, the UNDP has termed Pakistan as the 2nd youngest country as it has the largest number (64%) of youth population under 29 years of age. As per the “World in 2030 Report”, published by HSBC Global Research, Pakistan is ranked among the top countries that would be the driving force behind global economic growth during the years leading up to 2030.

Since the last few years, the government has undertaken rigorous structural and policy reforms leading to an improved investment eco-system. These efforts have been acknowledged globally by the World Bank through its “Ease of Doing Business Report 2020” where Pakistan is now at 108 on the global ranking after a tremendous jump of 28 points. Further improvement in the ranking is expected this year.

However, COVID-19 has created unprecedented global social and economic disruptions and Pakistan is no exception to it. However, amid this situation, there are growth and investment opportunities that can be harnessed in food processing, consumer goods (textiles & leather goods), logistics, entertainment & communications, financial services, E-Commerce, Edu-Tech, Health-Tech etc.

Pakistan follows a liberal investment regime and foreign investment promotion policy and has taken a series of economic liberalization measures to make the country more attractive. Moreover, the country is out of the global health crisis because of timely actions by the Government of Pakistan to contain COVID-19 pandemic. The economy of Pakistan is to rebound soon by making a V shape recovery in second half of 2020.


2- What about Brazil, what are the key sectors in business relations with Pakistan

Relations between Brazil and Pakistan are characterized as friendship and cooperation?


Brazil and Pakistan have cordial international political relations and have supported each other in the political arenas in different forums. Despite of the geographic distance, bi-lateral trade between Brazil and Pakistan in 2019-20 has increased to almost One Billion US$ and still there is enormous potential to increase bilateral trade in relation to the current situation. The exports of Brazil to Pakistan mainly include soy bean, iron & steel scrap, iron ore, pharmaceutical products, maze etc. The main exports from Pakistan to Brazil mainly include textile products including men’s wear, knitwear, home textile, surgical instruments, famous healthy Himalayan pink salt, delicious aromatic Basmati rice and sports goods.

Pakistan is known to be the best football maker of the world, a proud sole manufacturer of official soccer ball namely TELSTAR used in Soccer World Cup 2018, held in Russia and official soccer ball namely BRAZUCA used in Soccer World Cup 2014, held in Brazil.


3 - In what areas is there room to expand bilateral Brazil-Pakistan collaboration?


Since both Pakistan and Brazil have same size of population and have strong agricultural base in the economy, there is a lot of room for mutual collaboration in this regard. Pakistan is globally, the 4th largest cotton producer, 4th largest mango producer, 5th largest sugar producer, 5th largest milk producer, 8th in total cattle production, 8th largest wheat producer, 11th largest citrus producer, 11th largest poultry producer and 13th largest rice

There is a substantial potential in collaboration in the field of agriculture and livestock between Pakistan and Brazil. Since Brazil is the leading exporter of halal meat, particularly to the Middle East, there is a significant room for investment in Pakistan in in this regard, to become a major contributor to the Global Halal Food Market, being adjacent to Middle East and Muslim world of South Asia as well as processed milk and dairy products. There is also immense opportunity to produce high-quality seeds as well as edible oils. 30% of horticulture produce that goes to waste every year in Pakistan, can be converted into economic gain by investing in agribusiness value chain industries.

Secondly, there is also huge potential of partnership/collaboration in mineral sector, since Pakistan is 2nd in the world in salt mines, 2nd largest coal deposits and 5th largest in terms of copper and gold reserves. There are 92 known minerals of which 52 are commercially exploited with a total production of 68.5 million metric tons per year. Mineral sector is promising one with an average growth of 3% per annum, existence of aver 5000 operational mines, 50,000 SMEs and direct employment of 300,000.

Pakistan is blessed with enormous Hydrocarbon Resource potential, most of which are still untapped. According to technical evaluations, the original recoverable reserves are 1246 Million Barrels of oil and 57.4 Trillion Cubic Feet of gas. The current recoverable reserves are 347.8 Million Barrels of oil and 19.5 TCF of gas. With a large geographical sedimentary area of 827,268 Sq. kilometers, till now only 1094 Exploratory and 1443 Appraisal/ Development wells have been drilled. This comes to an average well drilling density of 3.0 wells per 1000 Sq. kilometers, resulting into 394 discoveries. The well hit/success ratio is 1:2.80 which is quite impressive and attractive.

The Government of Pakistan has embarked upon the progressive path of Ease of Doing Business and simplification of Rules and Laws for utmost facilitation of Foreign Investment in this sector. As a result of these policies, a large number of Multinational Companies in E&P sector have invested in Pakistan and commenced with the exploration and production projects/activities. These include ENI, ExxonMobil, United Energy Pakistan, MOL o Hungary, China ZhenHua, Polish Oil & Gas Company etc. In addition to this, Government of Pakistan has provided multiple policy incentives / premiers for investment in various fields of Petroleum sector i.e. Tight gas E&P, Low BTU Policy, Refinery Projects, Deep Conversion Oil Refinery Projects and related infrastructure projects such as Single Point Mooring (SPM), Jetties and Subsea/ Land Pipelines.

Finally, the current and future potential of IT industry in Pakistan is immense and so is the scope for bilateral collaboration between Pakistan and Brazil in this regard. According to US technology giant, Google, Pakistan is becoming a ‘Digital-First country’, paving new opportunities for businesses to digitally engage with consumers. The IT sector of Pakistan constitutes about 5000 companies employing about 500,000 IT and ITeS professionals with expertise in the current and emerging IT products and technologies. Pakistan is having a global export foot print in this sector and currently exporting IT based services and solutions to 100 plus countries in the world. Pakistan has been ranked as 3rd most popular country for freelancing (Oxford Internet Institute, Online Labour Index 2018). It is 5th most financially attractive country in the world for outsourcing services (A. T. Kearney’s Global Service Location Index 2019).

300+ international companies including global enterprises like Bentley®, Ciklum®, S&P Global®, Symantec®, VMware® have established BPO support, development and global consulting centers in Pakistan. Moreover, many international IT firms have established offices in Pakistan including IBM®, HP®, Dell®, Intel®, Microsoft®, Oracle®, Siemens®, NCR®, Teradata®, Mentor Graphics®. Further, Pakistani IT companies have many Fortune 500 companies amongst their clients including Halliburton®, Motorola®, GE®, BMW®, Toyota®, Daimler Chrysler®, AT&T®, Vodafone®, e-Bay®, Pepsi®, Deutsche Telecom®, DHL®, KPMG®, ABN Amro®, NYSE®, British Petroleum®, Petronas®, Caltex®, Sears®, Telenor®, among others.

During the current testing times in the wake of COVID-19 pandemic, it is heartening that Pakistan’s IT industry is open/working with its full potential and professionals are providing services globally. It is expected that in post-COVID-19 world, a significant part of global business and trade would be switching towards IT & ITeS solutions for their general management, inventory management, marketing, operations, sales, financial management etc. In the wake for such encouraging prospects in this regard, the room for partnership and collaboration between Pakistan and Brazil in ICT sector is all the more enormous.



TEXTILE SECTOR OF PAKISTAN

Textile sector is the most important manufacturing sector of Pakistan, contributing 57% to the total exports of the country. It contributes nearly 1/4th of industrial value-added and provides employment to about 40 percent of industrial labour force. The ready-made garments industry has emerged as one of the important small-scale industries in Pakistan. These ready-made garments, denim and home textile products have huge demand both at home and abroad and there is immense room for investment in this sector for the following reasons;

• Pakistan is the 4th largest produce and 3rd largest consumer of cotton in the world.

• Pakistan is 3rd in the world in terms of Cotton Yarn Production.

• Pakistan has got Duty Free Access to the European Union under GSP Plus

In the post-COVID-19 world of fashion, instead of using traditional material and cuts, the designers will be required to provide solutions to health-conscious, germophobe populous. This transformation from traditional textile to health-friendly and medical-textile will require investment to see it through.