• Claudia Godoy

Paquistão celebra o Dia do Mártir da Caxemira

Com informações da Embaixada do Paquistão

Para comemorar o Dia do Mártir da Caxemira (89ª Youm-e-Shuhada-e-Kashmir), uma solene cerimônia foi realizada na Embaixada do Paquistão. A importância desse dia foi destacado por meio de uma homenagem ao martírio de 22 caxemires mortos a tiros, em 1931, pelas Forças do Regimento Dogra, formado na maioria por hinduístas, na época a serviço do marajá que governava a região durante o Império Britânico. O Sr. Saqib Nisar se apresentou como mestre da cerimônia.


O Encarregado de Negócios, Sr. Azeem Ullah Cheema, destacou a ação ilegal da Índia em Jammu e Caxemira Ocupada pela Índia (IOJ&K)

O Adido de Defesa, Brigadeiro Mohammad Yousaf, destacou o fato de que desde 5 de agosto de 2019 a área de Jammu e Caxemira foi completamente bloqueada.

O Sr. Saqib Nisar se apresentou como mestre da cerimônia.

A coragem desses mártires desencadeou uma luta sem paralelo pela autodeterminação, que continua até hoje. Desde aquele dia histórico, centenas de milhares de Caxemires deram suas

vidas na busca pelo seu direito à autodeterminação, devidamente garantido por várias resoluções do CSNU. Os mártires da Caxemira representam um símbolo de resistência em IOJK e estão determinados a retirar o movimento da ocupação indiana.

Não menos brutais que a força Dogra, as forças de ocupação Indiana martirizaram centenas de milhares de Caxemires, ferindo gravemente milhões de famílias em Jammu e Caxemira ocupados pela India (IOJ&K). No entanto, isso não foi suficiente para destruir a vontade dos Caxemires e enfraquecer sua determinação em garantir a liberdade da ocupação indiana.


O Adido de Defesa, brigadeiro Mohammad Yousaf, destacou o fato de que desde 5 de agosto de 2019 a área de Jammu e Caxemira foi completamente bloqueada pela imposição do toque de recolher, com a implantação de mais de 900.000 forças de segurança Indianas para oito milhões

de pessoas de IOJ&K. Essa é a maior proporção de população militar em relação a civis em todo o mundo. O povo de Jammu Kashmir está sendo morto, cego, detido ilegalmente e torturado pelo exército Indiano. A “Genocide Watch” já emitiu um alerta onde afirmam que existem fortes possibilidades de genocídio de muçulmanos em IOJ&K.


Ao discorrer da reunião, o Encarregado de Negócios, Sr. Azeem Ullah Cheema, destacou a ação ilegal da Índia em Jammu e Caxemira Ocupada pela Índia (IOJ&K), onde, desde 5 de agosto de 2019, percebe-se tentativas da India em alterar a estrutura demográfica de IOJ&K, distribuição massiva de certificado de domicílio para não-Caxemires, graves delitos contra os direitos humanos, violações, assassinatos diários em encontros falsos, e operações de corda e busca, continuaram a ser aplicada, tanto quanto desaparecimento e encarceramento da liderança de

sêniors da Caxemira, blecaute de mídia e os chamados esquemas de "desenvolvimento", estes, utilizados com o objetivo de perpetuar a subjugação ilegal dos Caxemires.


Embora condenando o terrorismo de estado perpetrado pelas forças de ocupação indianas em IOJ&K, o Encarregado de Negócios reiterou que ambos governo e povo do Paquistão continuarão a apoiar os Caxemirianos até a realização de seu direito inalienável à autodeterminação, como consagrado nas Resoluções do Conselho de Segurança das Nações

Unidas (CSNU).


Ao final do evento, foi observado um minuto de silêncio pelos participantes em homenagem aos mártires da Caxemira.