• Claudia Godoy

Maior parceiro comercial de 120 países, China já contribui com mais de 30% da economia global


A China contribui hoje com mais de 30% da economia global, é o maior parceiro comercial de cerca de 120 países, o segundo maior mercado de importação do mundo por 11 anos consecutivos e o principal fornecedor da indústria global de manufatura. Em relação ao Brasil, o comércio bilateral cresceu 7% entre janeiro e junho deste ano. Os dados são do embaixador da China, Yang Wanming, durante discurso pelo 71° aniversário de independência da República Popular chinesa, celebrada no último dia 26. Apesar da pandemia de Covid-19, o PIB chinês cresceu 3,2% no segundo trimestre deste ano. "Espera-se que a economia chinesa consiga resultado positivo até o final do ano", afirmou o embaixador. Ele disse que o objetivo do governo chinês é elevar a qualidade de vida e assegurar o bem-estar social da população. "Trabalhamos para reduzir a pobreza extrema ainda este ano. O desenvolvimento chinês cria oportunidades para o mundo", lembrou o diplomata.

Wanming ressaltou também que a China vai continuar apoiando firmemente os esforços mundiais no combate à pandemia de Covid-19.

O diplomata lembrou ainda que é sólida a cooperação dos chefes de estado e a comunicação entre Brasil e China no combate ao novo coronavírus.

Segundo o embaixador chinês, o governo chinês doou R$ 40 milhões em ajuda ao combate à pandemia no Brasil. Além disso, ainda de acordo com Wanming, foi oferecido ao Brasil parceria entre instituições para a pesquisa da vacina contra o novo coronavírus e intercâmbio entre profissionais.


O embaixador chinês lembrou, também no discurso, que os chineses estão presentes em vários setores da economia brasileira, como na nova estação na Antárctica, na Bacia de Santos, com laboratórios 5G, em usinas termelétricas, no metrô de São Paulo e com um projeto para construir transporte público com energia limpa.


A data nacional da China deste ano contou com celebração toda virtual por causa da pandemia. A Embaixada chinesa organizou apresentação online de orquestras chinesas e brasileiras que executaram músicas dos dois países.