• Claudia Godoy

Jornalistas do BRICS preocupados com compartilhamento e qualidade das informações 

Os jornalistas presentes no 4° Fórum de Imprensa do BRICS fecharam o encontro, em São Paulo, com a ideia de criar plataformas que garantam a integridade e compartilhamento das informações entre os países que formam o grupo. "Temos a responsabilidade social de promover os laços entre as pessoas que estão no BRICS. Temos 23% da economia global e 50% do crescimento mundial. Somos um motor importante", disse José Sanchez, coprodutor do Fórum. Realizado no último dia 30, em São Paulo, o Fórum reuniu cerca de 150 mídias dos países que formam o grupo.

Brasil, Rússia, Índia, China e África do Sul possuem hoje 40% da população mundial e contribuem com 50% da riqueza mundial.

Segundo Sanches, a imprensa do bloco deve reforçar reportagens para manter o equilíbrio da opinião pública, reforçar a cooperação e defender os interesses do BRICS.

A cooperação e intercâmbio com as novas mídias para formação de novos talentos também é uma das preocupações. "A informação é poder e, se soubermos lidar com isso, estaremos conseguindo verdadeira posição contra mídias tradicionais e a proteção de nossos Estados", disse Sanchez.

Para He Ping, ministro e presidente da Agência de Notícias Xinhua, também coprodutor do Fórum, países com 50% da riqueza mundial não podem ser ignorados. "Isso significaria um desastre". Ping usou uma metáfora para explicar a importância da cooperação entre os países que formam o bloco: " traduzindo o voo dos pássaros, eles não voam com uma só asa. Nem um cavalo corre com uma só perna". E acrescentou: "a união faz a força". Cerca de 150 mídias participaram do Fórum.