• Claudia Godoy

Instituído o Dia do ImigranteTcheco e Eslovaco, pelo governo de MS



O Dia do Imigrante Tcheco e Eslovaco será 28 de outubro e passa a integrar o Calendário Oficial de Eventos do estado do Mato Grosso do Sul. A Lei é de autoria do deputado Felipe Orro (PSDB).

O dia 28 foi escolhido porque nesta data, em 1918, o Conselho Nacional publicou a primeira lei sobre a Constituição do Estado Independente Tchecoslovaco. Apenas dois anos depois, eram instituídas as relações diplomáticas com o Brasil.


O ex-presidente brasileiro Juscelino Kubitschek com o ex-presidente dos Estados Unidos, John F. Kennedy.• foto: INT

Os imigrante tchecos e eslovacos

fundaram as cidades de Batayporã e Bataguassu. Neste ano, as relações diplomáticas do Brasil com a República Tcheca e a Eslováquia completam 100 anos. Os imigrantes tchecos desembarcaram no Brasil em 1823. Dentre eles estava Jan Nepomuc Kubícek, um carpinteiro de Trebon, na República Tcheca, bisavô materno do ex-presidente Juscelino Kubitschek de Oliveira.


Notáveis tcheco-brasileiros: Otto Gottlieb·Juscelino Kubitschek, Francisco Lorenz·Johanna Döbereiner

A maioria dos tchecos e eslovacos que chegaram ao Brasil, fixaram-se na região sul do país, principalmente nos estados do Rio Grande do Sul, Santa Catarina e Paraná.

Nesses estados, os primeiros imigrantes começaram a chegar ainda no século XIX, tornando-se, frequentemente, uma minoria em áreas de colonização majoritariamente alemã ou polonesa.


Ao longo do século XX, chegaram ao Brasil três grandes ondas de imigrantes tchecos e eslovacos. A primeira ocorreu nos anos de 1930. A segunda onda de imigrantes entrou no país a partir de 1948, quando ocorreu o golpe comunista na Tchecoslováquia. Por fim, uma terceira onda iniciou-se a partir de 1968, após a invasão da Tchecoslováquia pelas tropas do Pacto de Varsóvia.

Inúmeros imigrantes tchecos e eslovacos migraram também para a região centrooeste do Brasil. Esses imigrantes chegaram em maior número principalmente nas décadas de 1940 e 1950, liderados por Jan Antonín Bata, irmão de Tomáš Bata, ambos empresários da indústria de calçados que haviam deixado a Tchecoslováquia após a ocupação nazista em 1938.


A colonização de parte da região sudeste do estado de Mato Grosso, hoje Mato Grosso do Sul, foi possível graças à companhia Viação São Paulo-Mato Grosso, propriedade de Jan Antonín Bata e seus colaboradores, destacando-se as figuras de Vladimir Kubik (Gerente-Geral da Cia. Viação SP-MT), bem como, Jindrich Trachta (Gerente da Cia. Viação SP-MT).


Jan Antonín Bata fundou várias cidades no Brasil, dentre elas: Batatuba/SP (Distrito do Município de Piracaia/SP), Mariápolis/SP, Batayporã/MS, e Bataguassu/MS.

O objetivo do presente projeto é prestar a devida homenagem ao imigrante tcheco e eslovaco que, vindo de terras tão distantes, deixaram seus amigos e familiares na Europa, se instalando aqui e se fazendo nossa gente. Contribuíram com seu trabalho engajaram-se em nossas lutas, se multiplicaram e fizeram prosperar cidades inteiras.


Os imigrantes tchecos e eslovacos trouxeram consigo seus hábitos, seus costumes, sua religiosidade, a sua formação psicossocial e moral que enriqueceram de maneira excepcional nossa cultura. Seus traços aí estão hodiernamente, muito vivos, perpetuando-se de geração em geração, edificando cada vez mais a construção e o impulso do desenvolvimento de nosso país e do nosso estado de Mato Grosso do Sul.