• Claudia Godoy

Ibáñez: violência de gênero aumenta na UE com isolamento social e é alarmante no mundo



O embaixador da União Europeia, Ignácio Ybañez, disse, nesta semana, durante debate virtual, que a violência de gênero aumentou nos países do bloco com o isolamento social imposto pelos governos em função da pandemia de Covid-19 (o novo coronavírus) e registra índices alarmantes no mundo. "Mas a igualdade entre homens e mulheres é preocupação constante dos países que formam o bloco político e econômico do continente europeu", garantiu o diplomata.


Ibáñez afirmou, ainda, que a UE continua a aperfeiçoar a prevenção e se junta às Nações Unidas no trabalho contra a violência de gênero. "Cerca de 14 dos membros da UE estão bem classificados na posição de igualdade de gênero. Mas podemos fazer ainda melhor", afirmou o diplomata. A União Europeia possui 27 membros.


A declaração do diplomata ocorreu durante participação no debate virtual "União Europeia e os Direitos das Mulheres em todo o mundo", promovido pela UE, e que contou também com a participação da embaixadora da Áustria, Irene Giner-Reichl, e do mediador Creomar Lima.


O embaixador da União Europeia, Ignácio Ybañez, durante o debate virtual. Foto: fotograma da imagem da internet.

Ybáñez lembrou que hoje a União Europeia é dirigida por uma mulher: Ursula von der Leyen. O cargo é o de maior poder na UE. Ela é responsável pela atribuição de cargos e funções aos membros da Comissão e pode alterá-los ou demití-los.


A presidente da Comissão Europeia, Ursula von der Leyen. Foto: UE.

"Nossa meta é atingir a igualdade de gênero em 2025", disse o embaixador da UE. Ybáñez lembrou que a União Europeia aderiu à Plataforma de Ação de Pequim, que prevê a igualdade de homens e mulheres.


Assinado em 1995, a Plataforma de Pequim prega o fim da violência contra a mulher e a igualdade de gênero na economia com o intuito de alcançar o equilíbrio nos salários, empregos, cargos de direção e integração da política de gênero na UE.

O embaixador destacou também a importância do financiamento de medidas para capacitar as mulheres em várias partes do mundo. "As Nações Unidas já anunciaram criação de fundo de € 500 milhões para erradicar todas as formas de violência contra as mulheres", afirmou o diplomata.