• Claudia Godoy

Embaixador diz que novo governo equatoriano dará ênfase à saúde e recuperação da economia

Por: Claudia Godoy

O embaixador do Equador, Diego Ribadeneira, disse hoje (13), que a prioridade do novo governo de Guillermo Lasso, que venceu Andrés Arauz, na eleição presidencial do último domingo (11), será "obviamente" a Saúde e o processo de vacinação contra a Covid-19. "O presidente eleito espera vacinar 9 milhões de equatorianos nos primeiros cem dias de governo", afirmou Ribadeneira.

O embaixador do Equador, Diego Ribadeneira. Foto: Lorena Ponce

A segunda prioridade é recuperar a economia que depende da imunização e da Saúde da população. Brasil e Equador possuem laços diplomáticos há 177 anos, "que ao longo da história se caracterizam pela proximidade e fluidez", lembrou o embaixador. Com o novo governo de Lasso, ainda de acordo com o diplomata equatoriano, os dois países darão continuidade às relações históricas e darão ênfase a temas como saúde, recuperação da economia, promoção do comércio e cooperação técnica, especialmente humanitária.

Leia a entrevista completa:

Bacuri Notícias- O Equador tem novo presidente. Quais são as expectativas em relação a medidas para enfrentar um ano tão difícil com as consequências da pandemia?

Diego Ribadeneira- O processo eleitoral no Equador transcorreu normalmente. Mais de 80% dos eleitores foram às urnas e elegeram o senhor Guillermo Lasso, que venceu com uma diferença inquestionável, cerca de 500.000 votos. O candidato Andrés Arauz acatou os resultados e, em uma demonstração de maturidade democrática, parabenizou o Presidente eleito.

A prioridade do novo governo obviamente será a saúde e o processo de vacinação para Covid-19. O presidente eleito espera vacinar 9 milhões de equatorianos nos primeiros cem dias de governo. A segunda prioridade é a recuperação da economia, que está ligada à anterior.


Haverá mudança nas relações Brasil - Equador?

Diego Ribadeneira- Equador e Brasil estabeleceram oficialmente laços diplomáticos há 177 anos e ao longo da história a relação se caracterizou pela proximidade e fluidez.

Nesse sentido, com o novo governo do Equador, os dois países continuarão com essa relação histórica e darão ênfase a temas como saúde, com apoio recíproco na luta contra a cobiça; a recuperação da economia, com a promoção do comércio bilateral e da cooperação técnica, especialmente a cooperação humanitária.


Bacuri Notícias - Em que áreas o senhor vé perspectivas para intensificar as relaçoes bilaterais?

Diego Ribadeneira- As áreas em que os dois países devem se desenvolver são, em primeiro lugar, na área da saúde, o trabalho conjunto para o fornecimento de vacinas contra a Covid; cooperação humanitária com medicamentos e equipamentos e troca de experiências no combate à pandemia.

Em segundo lugar, na recuperação da economia, com o impulso ao comércio e aos investimentos bilaterais. Terceiro, a participação nos planos e programas da Agência de Cooperação Amazônica (OTCA), nas questões ambientais e de saúde em benefício das populações amazônicas.


Ronaldo Martins (Rádio Riacho FM)- Qual é na sua opinião a lição que a pandemia nos deixou?


Diego Ribadeneira- Fundamentalmente a necessidade de estarmos unidos, de sermos solidários com quem tem menos e com quem não tem emprego. A necessidade de deixar de lado as diferenças ideológicas e políticas, tanto internas quanto entre as nações, para trabalhar em benefício das populações e economias gravemente afetadas pela pandemia. Só assim podemos sair desta grave situação e recuperar da pandemia.