• Claudia Godoy

Embaixada da Bélgica divulga retrato do comércio com Brasil durante pandemia

A Embaixada da Bélgica divulgou, na última semana, retrato do comércio belgo-brasileiro durante a pandemia de Covid-19. Nos seis primeiros meses deste ano, as exportações brasileiras para a Bélgica registraram queda de 7,9%, nos últimos seis meses em relação ao mesmo período do ano passado. Houve queda nas áreas de fabricação de metais e materiais de transporte e plásticos.


O documento apontou, ainda, aumento no comércio bilateral nas indústrias de química (+ 17,7%), alimentos (+ 16,9%) e extração de minerais (+ 70,3%).

Foto: Porto de Antuérpia / Divulgação

No que diz respeito às importações, as vendas belgas caíram significativamente nos setores de alimentos (-12,1%) e produtos químicos (-41,3%), mas com aumentos nos de metais e pedras preciosas, produtos vegetais e metais básicos e artigos. Ao todo uma queda total nas vendas de 12,3%. Globalmente, durante o primeiro trimestre de 2020, a Bélgica - em média o décimo maior exportador do mundo - exportou EUR 99 bilhões e importou EUR 94 bilhões.

O balanço do comércio bilateral foi elaborado pela Agência de Comércio Exterior da Bélgica (Belgian Economic Mission (que atua em parceria com o hub.brussels Flanders Investment & Trade - São Paulo, Brasil e AWEx Brasil).


A queda global no comércio de bens observada com a crise da Covid-19 é percebida no comércio bilateral, mas os números revelam um certo otimismo em relação a uma contração mais limitada do que a esperada e a alguns "pontos positivos" setoriais.







Foto: Porto de Antuérpia / Divulgação