• Claudia Godoy

Em resposta a Eduardo Bolsonaro, China pede fim de calúnias que prejudicam relações bilaterais


A Embaixada da China declarou nesta terca-feira (24) que personalidades devem deixar a retórica da extrema direita norte-americana e cessar as calúnias e desinformações sobre a China. "Caso contrário, vão arcar com as consequências negativas e carregar a responsabilidade histórica de perturbar a normalidade da parceria China-Brasil", informou a embaixada chinesa por meio de nota. A representação diplomática afirmou, também, acreditar que "a sociedade brasileira em geral não endossa, nem aceita esse tipo de postura".

A declaração chinesa foi em função de publicação do deputado federal Eduardo Bolsonaro que acusou a China e empresas chinesas de espionagem cibernética.

O deputado, que também é presidente da Comissão de Relações Exteriores da Câmara dos Deputados, depois apagou a sua mensagem das redes sociais.


A Embaixada disse que a declaração de Bolsonaro não condiz com o cargo do deputado. A representação diplomática lembrou, ainda, os 46 anos de relações diplomáticas e 11 anos consecutivos como o maior parceiro comercial brasileiro.



Veja a nota da Embaixada da China completa: