• Claudia Godoy

China entrega ao Brasil lote de mais de duas toneladas de insumos médicos para combate à Covid-19

Com informações da Embaixada da China


A Embaixada da República Popular da China no Brasil realizou hoje ( 2 ), juntamente com o Governo Federal do Brasil, a Cerimônia de Entrega de Doações dos Materiais Médicos do Governo Chinês ao Brasil.

O embaixador da China no Brasil, Yang Wanming, afirmou no discurso que conforme as necessidades do lado brasileiro, a China providenciou com urgência o primeiro lote de doações de mais de duas toneladas, que inclui 5 mil trajes de proteção, 15 mil máscaras cirúrgicas e uma grande quantidade de outros insumos médico-hospitalares, como óculos de proteção, luvas, protetores de sapatos e termômetros.

"Um segundo lote avaliado em mais de 1,5 milhão de reais

já foi embarcado na China. É esperado que esse lote seja destinado especificamente à região amazônica para ajudar o combate à Covid-19 nas comunidades indígenas”, declarou Yang Wanming.


Falando sobre o apoio chinês ao Brasil no combate à COVID-19, o Embaixador acrescentou que cerca de 20 províncias e municípios, assim como 30 empresas da China, já doaram ou vão doar a 30 estados e municípios do Brasil suprimentos de saúde, como respiradores, máquinas de tomografia, trajes de proteção, kits de teste e leitos hospitalares, totalizando mais de 40 milhões reais.

A parte chinesa ainda organizou mais de 10 videoconferências de intercâmbio entre

especialistas chineses e autoridades de saúde do governo federal e de 12 estados, assim como cerca de 200 profissionais de saúde de 10 hospitais.


Dezenas de milhares de pessoas assistiram a esses webinários. Além disso, a China auxiliou o Brasil na aquisição de centenas de toneladas de equipamentos médicos.

Há também parcerias entre instituições de pesquisa biofarmacêutica para pesquisa e desenvolvimento de vacinas. Yang afirmou ainda que nos últimos meses, a China doou

50 milhões de dólares americanos à OMS, forneceu assistências emergenciais a 150 países e organismos internacionais,

organizou videoconferências entre infectologistas chineses e seus colegas de mais de 170 países, enviou 26 equipes médicas a 24 países e produziu insumos e equipamentos médico-hospitalares para o mundo inteiro.