• Claudia Godoy

Argentina é primeiro país da América do Sul a fabricar Sputnik V


Nesta terça-feira (20), a Argentina se tornou o primeiro país latino-americano a iniciar a produção local da vacina russa Sputnik V contra a covid. A expectativa é de que o imunizante possa ser exportado para países da região.

O Fundo Russo de Investimentos Diretos (RFPI, na sigla em russo) e a empresa farmacêutica Laboratórios Richmond SACIF anunciaram nesta terça-feira (20) a produção do primeiro lote da vacina russa Sputnik V na Argentina. Foto: governo da Argentina

O RFPI e parceiros facilitaram a transferência de tecnologia para os Laboratórios Richmond para que a produção local fosse iniciada. O primeiro lote será enviado ao Centro Nacional de Pesquisa de Epidemiologia e Microbiologia Gamaleya (Centro Gamaleya), na Rússia, para controle de qualidade.

Em comunicado do RFPI, o presidente argentino Alberto Fernández comentou o início da produção local do imunizante desenvolvido pelo Centro Gamaleya. "Nós estamos muito empolgados com a possibilidade de produzir a Sputnik V na Argentina, a vacina com a qual já estamos protegendo uma grande parte da população com excelentes resultados. Será uma grande oportunidade para avançar na luta contra a pandemia não apenas na América Latina", afirmou Fernández, segundo o comunicado.